Arbitragem

133ª Questão: Calibre da dosagem

14/04/2013 - 14:10

Sobre a questão de acréscimo de tempo nos relógios, o árbitro tem sempre de acrescentar 2 minutos conforme determina a lei nos lances ilegais? Ou o árbitro pode variar na medida?

Resposta: Quando aplica penalidade a um jogador que comete um lance ilegal, ou quando rejeita uma reclamação de empate com base no art. 10.2, o árbitro deve sempre acrescentar dois minutos ao relógio do oponente.

Quando aplica penalidade a um jogador que errou na reivindicação de empate por repetição de posição, ou regra dos 50 lances, o árbitro deve sempre acrescentar três minutos ao relógio do oponente. Isto é o que diz a lei do xadrez em termos de dosagem.

Ocorre que a partir de 1º de julho, a nova lei padroniza a dosagem para aplicação de penalidades em casos de xadrez STD:

7.5.b ... para os dois primeiros lances ilegais completados por um jogador, o árbitro deverá dar dois minutos extras ao oponente a cada instância; para o terceiro lance ilegal completado pelo mesmo jogador, o árbitro deverá declarar a partida perdida para este jogador. Entretanto, a partida está empatada, quando se alcança uma posição em que o oponente não pode dar xeque-mate no rei do adversário por qualquer série de lances legais possíveis.

9.5.b Se a reclamação for considerada incorreta, o árbitro deverá adicionar dois minutos ao tempo de reflexão remanescente do oponente. Então a partida deverá continuar. Se a reclamação for feita com base em um lance pretendido, este lance deverá ser feito ...

10.2 d Se o árbitro rejeitar a reclamação, o oponente deverá ser contemplado com dois minutos de tempo extra.

Exceção: Apêndice B Em partidas de BLZ as penalidades mencionadas nos Artigos 7 e 9 das Regras de competição devem ser um minuto ao invés de dois minutos.

Mas, sem dúvida, na aplicação de penalidade em que não haja uma medida estabelecida na lei, o árbitro pode calibrar a dosagem do bônus que deve acrescentar ao adversário ou na penalidade de tempo que deve ser feita no relógio do jogador infrator.

Todavia, o árbitro deve usar e abusar do bom senso para não interferir no resultado da partida.
Se o jogador estiver apuradíssimo no tempo e o árbitro conceder um bônus de 2 minutos ao adversário estará agindo de maneira atabalhoada, sem dúvida, interferindo no resultado.

Abaixo, o que a lei atual reza sobre o assunto:

7.4. b Para os dois primeiros lances ilegais de um jogador, o árbitro deverá dar dois minutos extras ao oponente a cada instância; para o terceiro lance ilegal do mesmo jogador, o árbitro deverá declarar a partida perdida para este jogador.
Entretanto, a partida está empatada quando se alcança uma posição em que o oponente não pode dar xeque-mate no rei do adversário por qualquer série possível de lances legais.

9.5.b Se a reclamação for considerada incorreta, o árbitro deverá adicionar três minutos ao tempo de reflexão remanescente do oponente. Então a partida deverá continuar. Se a reclamação for feita com base em um lance pretendido, este lance deverá ser feito ...

10.2 c Se o árbitro rejeitar a reclamação, o oponente deverá ser contemplado com dois minutos de tempo extra.

Quem estiver interessado em colaborar com questões de arbitragem, pode enviar email para o AI Antonio Bento