Arbitragem

94ª Questão:

01/02/2004 - 18:30

Pergunta: Em um torneio de blitz, o jogador A faz o lance, aciona o relógio, deixando seu rei em xeque. Qual deve ser a atitude do jogador B, adversário, para ter sucesso na sua reivindicação de vitória?

a) capturar o rei do adversário e chamar o árbitro, reivindicando a vitória?
b) chamar o árbitro e em seguida capturar o rei do adversário, reivindicando a vitória?
c) parar o relógio, afastando-se da mesa para chamar o árbitro e reivindicar a vitória?
d) parar o relógio (mantendo-se à mesa da partida) e chamar o árbitro, reivindicando a vitória com base no disposto no apêndice C3 da Lei do Xadrez?


Resposta:
A captura do rei é uma das questões que mais tem gerado polêmica na arbitragem de xadrez.
O próprio Comitê de Arbitragem da FIDE, em 2002 no Congresso de Bled, estava dividido:
Alguns árbitros julgavam que, se o jogador capturou o rei do oponente, então esse jogador deveria perder a partida. Outros, todavia, julgavam que o jogador deveria vencer.
A grande dúvida para o árbitro, nas tomadas de rei, é se o monarca foi capturado com um lance possível ou não?
Em consequência disso, o Comitê de Arbitragem da FIDE decidiu que se o jogador reclamar a vitória por tomada do rei, corre o risco de o árbitro decidir de outra forma. Ou seja, fica a critério do árbitro decretar a vitória ou não. (Vide 3ª questão editada em março de 2003)

Diante disso, acho que o jogador não deve se arriscar a capturar o rei do adversário. A prudência recomendaria que o jogador adote o ritual descrito na alínea "d" acima se quiser ter absoluto sucesso na sua reivindicação de vitória.

Nota: Se o reivindicante não tiver material para dar mate, o árbitro decretará empate.

Esta questão foi baseada numa pergunta feita por Henrique da Hora, a quem agradecemos a colaboração.

Quem estiver interessado em colaborar com questões de arbitragem, favor enviar email para

AI Antonio Bento
com cópia para